Será que é muito difícil ser vegano?

difícil ser vegano

Muitos amigos quando estão comigo dizem que jamais conseguiriam ser veganos porque é muito difícil. Eles olham para mim e a minha indecisão sobre escolher um lugar para comer ou um prato em um restaurante porque estou incerta se vai alguma coisa de origem animal.

Tudo bem. Eu entendo o ponto de vista deles. Eu não sou a vegana mais organizada ou motivada, e isso resulta em eu preferir não ir a um jantar com amigos do que ir e ver o que acontece. Mas isso é mais uma coisa da minha personalidade do que do veganismo.

Ser vegano, por si só, não é difícil, pelo menos para mim. Mas tem algumas coisas que preciso inserir no meu cotidiano para que isso dê certo:

Quando estou viajando com amigos e todos escolhem um lugar para comer e eu sou a única vegana, o que fazer? Às vezes eu dou sorte de escolher um local que tenha opções. Às vezes sinceramente no local não tem nada que eu tenha vontade de comer.

É preciso ser forte o suficiente para dar tchauzinho para o grupo e ir comer em outro lugar. Eu já fiz isso e não me doeu. Depois fui encontrar com eles e aí a vida continua.

Tem que se planejar para ter sempre um lanchinho à mão, especialmente durante aulas, por exemplo. Nem sempre a faculdade vai ter uma lanchonete que serve sanduíches veganos, por exemplo.

No supermercado, não posso sair comprando qualquer produto, desde comida até cosméticos, por exemplo.. Tem que ler aquelas letrinhas miúdas e tentar entender os ingredientes que a compõem. Principalmente quando você não mora nas maravilhosas Alemanha e Áustria, que põem o selinho vegano em tudo que é vegano (amo!)

E quando dá vontade de comer aquela pizza, ou bolo de chocolate? Corre para a cozinha para fazer uma versão caseira, ou para o navegador ver o que tem disponível na cidade.

Ser vegana tem dessas coisas. Mas para mim, essa não é a parte difícil. Eu jamais precisei reconsiderar a minha escolha por causa dessas pequenezas do dia a dia. O problema mesmo é que vivemos em uma sociedade que não considera que existem pessoas que não querem comer animais ou seus derivados.

Como eu me adaptei ao veganismo?

A coisa mais legal de ser vegana é que você se torna um consumidor mais consciente. Eu me sinto muito privilegiada por ter a oportunidade, desde o início da minha vida adulta, de olhar para o consumo de uma maneira crítica. Isso me ajudou demais a fazer escolhas que não são baseadas na moda, no desejo, no status quo, que publicidades querem nos jogar o tempo todo.

Depois de me tornar vegana, eu comecei a achar muito importante, por exemplo, o minimalismo, que nos faz repensar o nosso consumo e uso de objetos. Será que a gente precisa mesmo encher nossas vidas de coisas?

O veganismo me fez repensar também sobre o meio ambiente. É necessário inimagináveis quantidades de água e comida para alimentar animais que serão mortos para nos alimentar. E isso não para só no veganismo. De todos os produtos que compramos no supermercado, cada um vem embalado em plásticos que, na maioria das vezes, não podem ser reciclados, nem mesmo na avançada Europa. E no Brasil, então, em que o conceito de reciclagem chegou, mas não a prática, isso é ainda mais preocupante.

Isso me fez me perguntar se eu preciso mesmo comprar legumes empacotados em sacos plásticos, bandejas e outros materiais que, no segundo que eu chegar em casa, vão para o lixo. E do lixo, vão parar em terrenos baldios, aterros sanitários, serem incinerados ou, pior, pararem em nossas águas.

O veganismo me fez pensar sobre o meu consumo de roupas baratinhas da C&A ou mesmo de lojas um pouco mais sofisticadas como a Zara. Como é possível nos venderem roupas baratas? Como é possível que essas roupas sejam diferentes a cada mês? O peso que esse tipo de moda “rápida”, as chamadas “fast fashion” tem em nosso meio ambiente e nas pessoas, principalmente de países mais pobres, é alto demais.

Eu percebi que o veganismo me fez considerar adquirir coisas só quando preciso, e comprar primeiro de segunda mão, usadão mesmo, ao invés de pagar mais caro por itens que causam impactos gigantescos no planeta, nas pessoas e nos animais.

Veganismo não é difícil. Ser vegana é ser forte o suficiente para fazer escolhas que estão em sintonia com meus valores éticos. E isso não é muito melhor do que aceitar as coisas como são?