Para momentos de incerteza: Como tomar uma decisão


Blog / sexta-feira, março 2nd, 2018

Eu estou escrevendo esse texto do meu tablet. Agora que percebo o quanto é desconfortável escrever pelo teclado digital. Só que já é quase meia noite e meu computador é muito lento. Ele é de 2013 e não aguenta mais. Será que eu deveria me sucumbir ao caro e fechado mundo da Apple e comprar um macbook?

Talvez.

Eu estou escrevendo do meu tablet a essa hora da noite porque eu estava lendo um desses ebooks gratuitos que a gente encontra online sobre como se tornar um redator (ou escritor) ou algo do tipo. Soa clichê (e é). Mas não importa.

O autor disse umas coisas bem interessantes sobre a importância de escrever e publicar todoss os dias para que você evite ter que tomar decisões sobre o que e quando escrever, e também para superar o desejo de escrever coisas incríveis todas as vezes.

Ele também falou sobre como a gente simplesmente tem que ir lá e fazer o que queremos. Uma coisa importante que também chamou minha atenção foi quando ele disse:

nós devemos parar de perder tempo admirando criatividade.

Au, essa doeu!! Eu sou uma admiradora da criatividade, e prefiro observar mais do que fazer, ouvir mais do que falar (ou até mais do que escrever). Eu amo escrever, mas para mim. Eu escrevo para mim mesma para fazer sentido do mundo, dos meus pensamentos, do que está acontecendo comigo, das minhas ações e dos meus valores.

Escrever para os outros é uma grande responsabilidade, especialmente porque as pessoas estão apenas vivendo suas vidas, tentando encontrar respostas para elas mesmas. Eu estou fazendo o mesmo. E é por isso que eu escrevo, normalmente em um caderno, para mim mesma.

Mas eu também sou uma redatora (ou escritora). Quero dizer, uma redatora profissional. Eu sou graduada em jornalismo, faço mestrado em comunicação digital. Escrever, criar conteúdo digital e criticar os conteúdos midiáticos são coisas que eu faço. Então por que será que eu tenho tanta dificuldade de me chamar de algo que eu já sou? Por que a maioria de nós enrola quando o assunto é decidir o que nós queremos fazer, o que podemos fazer e quem nós somos.

Nós perdemos muito tempo pensando: é isso que eu quero? Devo escolher outra coisa? Devo esperar até eu estar mais preparada, ter mais experiências?

Não faz sentido eu continuar escondendo meus pensamentos no meu velho carderno. Escrever nesse blog não é sobre fazer dinheiro (porque se for eu com certeza vou falhar miseravelmente). É sobre estar lá para outras pessoas podem se relacionar com você.

Minhas experiências estudando fora do Brasil são únicas, mas elas também são em alguma medida o que outros estudantes estão passando (ou querem passar). Muitas pessoas sonham em viver essa experiência e não tem ideia de como as coisas  funcionam, ou se sentem confusos. Eu tenho passado por isso e penso que compartilhar minhas experiências pode ajudar muitas pessoas. Ser capaz de relacionar nossas jornada com outros é importante quando estamos indecisos. Mas mais importante que isso é nos lembrarmos de uma coisa:

não existem motivos para esperar.

Tomar a decisão e fazer (ou ser) o que você decidiu é a coisa mais importante. Lembre-se que a maioria das pessoas estão confortáveis demais fazendo as mesmas rotinas que não levam a lugar nenhum. Se você agir, você se torna um dos poucos.

Nossa, eu escrevi bastante já e me acostumei com o teclado do tablet. Acho que vou tentar escrever mais por aqui, especialmente com meu velho computador lá na mesa descansando.

Quer um desafio? Leia uma versão em inglês desse texto e se prepare para estudar fora: Just go ahead and be it