Minimalista e lixo zero: O que parar de comprar

o que parar de comprar

Enquanto passeava com minhas mãe por uma rua movimentada com grandes lojas e centros comerciais lotados de pessoas, notei minha falta de interesse. Mas não foi difícil ignorar as pessoas frenéticas comprando produtos que talvez elas já possuem. Essa experiência me fez pensar nas coisas que podemos parar de comprar para diminuir nosso lixo.

Minha mãe mesmo, uma consumidora de mão cheia, andava pelas lojas inspecionando cada produto. Fazer compras por hobby se tornou algo normal em nossas vidas urbanas, especialmente com lojas vendendo roupas tão baratas. Mas só porque isso é uma realidade não quer dizer que tenhamos que aceitar e repetir esses hábitos.

Consumo no minimalismo

Minimalismo para mim significa ter consciência das coisas que compro. E significa também sempre pensar duas vezes antes de comprar. Eu preciso decidir se uma compra é necessária ou se é apenas para satisfazer algum impulso. É importante para mim saber que tenho controle de para onde meu dinheiro e minha atenção estão indo. Além disso, preciso ter certeza que levo em consideração alguns princípios. Por exemplo, algumas empresas contribuem bastante com poluição do planeta. Muitas delas não tem responsabilidade social e não contribuem com práticas justas de mercado.

Ter esse tipo de consciência sobre o que eu compro já diminui bastante o consumo pelo consumo. E acredito que isso é essencial para qualquer consumidor que quer ter mais cuidado.

Além disso, pensar sobre o que consumimos nos faz repensar sobre nossos hábitos. E nos faz também pensar sobre qual é o valor real das coisas em nossas vidas. Já parou para pensar por que você busca comprar MAIS roupas e sapatos novos quando você já tem o que precisa? Ou por que decide comprar um celular novo quando o seu atual está perfeitamente funcional? Será que substituir produtos vai fazê-lo mais feliz?

Consumo na perspectiva ‘lixo zero’

O minimalismo não necessariamente olha o consumo na perspectiva do meio ambiente. O minimalismo foca na felicidade e funcionalidade das coisas em nossas vidas. Ter 100 pares de sapato não necessariamente vai te trazer mais felicidade que ter 10 pares de sapato. Na perspectiva do movimento zero waste, ou lixo zero, a questão é ambiental. Ter 100 pares de sapato e continuar comprando cada vez mais tem um impacto muito maior no meio ambiente. Muitos pares utiliza muitos mais recursos do nosso planeta.

Além disso, quando não nos importamos com a ética das empresas, estamos dizendo ao mercado para continuar produzindo. Isso que cria um ciclo vicioso de uso abusivo dos nossos recursos humanos e ambientais.

Para o movimento lixo zero, reutilizar é a solução, ao invés de incentivar a produção de novas peças. Por isso, quem quer diminuir seu lixo procura por lojas de segunda mão quando precisam de novos itens, por exemplo.

E depois dessa introdução gigante, quais coisas você pode parar de comprar? Eu vou falar das minhas experiências com o consumo.

#1 Café em copo ‘para viagem’

Pela Europa e Estados Unidos é muito comum entrar em cafeterias e pedir café para viagem. Mas no Brasil o famoso café e água no copinho plástico não é diferente! É legal fazer isso quando você tá com pressa ou atrasado. Mas, será que é algo necessário e impossível de evitar? Tirando raras ocasiões, pegar um café para viagem se tornou algo raro pra mim, me economizando alguns trocados também.

Quando passo o dia na universidade, levo meu copinho reutilizável e compro café usando ele :). Esse é um bom investimento para quem não quer perder o costume de tomar café na rua.

#2 Legumes e frutas embalados em plásticos

Ah, legumes embalados. Eu tinha a mania de comprá-los simplesmente porque é mais cômodo do que frutas e legumes à granel. O problema é que não precisamos de mais plásticos, especialmente quando é completamente possível comprar esses alimentos sem ser embalados.

Eu investi em sacolinhas de algodão e sempre as levo comigo quando vou ao supermercado. Assim, agora escolho meus legumes e frutas sem plásticos, sempre que dá. Infelizmente ainda não é possível eliminar os plásticos totalmente em supermercados comuns.

#3 Roupinhas e sapatos em lojas baratinhas (fast fashion)

Sabe a mania de sair para comprar uma roupinha só pela diversão? Isso se tornou algo raro para mim. A não ser quando estou viajando, raramente me vejo na situação de andar por uma rua cheia de lojas. Quando preciso de uma roupa ou quero sair para olhar, gosto de ir em loja de segunda mão. Na loja belga Les Petitis Riens, as roupas são de doação. Os lucros das vendas são destinados a projetos sociais.

#4 Garrafinha de água de refrigerante

Não compro garrafinha de água toda vez que estou na rua, sempre que posso evitar. E muito menos de refrigerante. Eu sempre levo minha própria garrafinha com água para ir tomando durante o dia. Além de evitar a garrafinha, eu ainda economizo uns trocados 😉

#5 Artigos de decoração e presentinhos para amigos e família

Eu não sou e nunca fui muito fã de artigos de decoração. Não gosto de muita coisa nem no meu quarto e nem em mim mesma (anéis, pulseiras, etc). Como não vejo utilidade, quase não compro nada desse tipo.

Para somar, quando viajo não trago presentinhos tipo ímã de geladeira e abridor de garrafas para família. Eu não gosto de ganhar isso, e acredito que a maioria das pessoas não se importa muito com esse tipo de presente. Prefiro levar algo que a pessoa possa provar, como chocolates e biscoitos, ou mesmo não levar nada. Por que precisamos presentear as pessoas com objetos que elas não necessariamente querem ou precisam? Um abraço não é suficiente?

Esse texto não é para demonizar o consumo. É impossível viver sem consumir e sem criar lixo vivendo em uma sociedade capitalista como a nossa. O que a gente pode fazer é nos esforçar para aumentar a nossa consciência sobre nossas práticas de consumo. Repensar sobre o que compramos e por que nos ajuda a ter perspectiva sobre nossos hábitos e o impacto deles na sociedade e no meio ambiente.

O que você já deixou de comprar hoje?