Saiba como diminuir os custos do estilo de vida vegano


Blog / segunda-feira, abril 22nd, 2019

Você quer parar de consumir animais mas está incerto de tomar essa decisão. Amigos, família, disponibilidade de produtos na sua região, sabor são fatores que costumam adiar a mudança de estilo de vida. Uma coisa a mais que adia essa decisão é acreditar que ser vegano pesa mais no bolso do que ser onívoro.

Muitos acreditam que veganismo significa ir a supermercados caros e comprar só produtos especiais. E aí o veganismo tem essa áurea de coisa de rico e privilegiado. Eu entendo essa preocupação, afinal, quando nos tornamos veganos estamos nos comprometendo a uma mudança de estilo de vida que deve durar para a vida inteira.

Mas, como vegana já há alguns anos (e vegetariana em transição desde o final de 2014), e como estudante vivendo com pouco dinheiro, tudo o que eu posso te dizer é que é sim possível ser vegana gastando pouco. Eu ousaria dizer que é possível gastar menos do que uma pessoa que come animais.

Para isso, basta que a gente tenha ciência de alguns aspectos importantes para não cair em armadilhas capitalistas:

  1. Evite produtos industrializados

Especialmente quando se trata de alimentação, produtos altamente industrializados como margarinas, biscoitos e salsichas, por exemplo, não são baratos (a não ser que você more na Alemanha, onde os produtos veganos são numerosos e com preços camaradas).

Sendo vegano ou não, produtos industrializados levam a marca de quem o fabricou, e isso encarece sua compra.

Além disso, em geral, produtos industrializados são baixo em nutrientes, altos em açúcar, óleos, sódio e gorduras. Por isso, se seu objetivo for ser um vegano econômico, evite encher sua cozinha de produtos industrializados, você não precisa deles!

  1. Não caia no mito da substituição

O maior problema na hora de fazer a transição para o veganismo é que nós estamos acostumados a ver nosso prato com um pedaço de carne sempre lá. E aí no veganismo, sentimos a necessidade de substituir a carne por alguma coisa que pareça carne.

Não tem nada de errado de tentar isso no início para a transição ser menos difícil. Mas a verdade é que você não precisa de um pedaço de hambúrguer de soja no seu prato ou um bife de glúten, o famoso Robson, para poder ter uma alimentação saborosa e completa.

  1. Compre mais grãos, verduras e legumes sazonais e locais

Existem épocas do ano que é mais fácil encontrar um tipo de legumes, e em outras épocas outros tipos. No Brasil, nosso clima é sempre bom, mas às vezes chove menos, às vezes mais. Aprenda a reconhecer quais são as épocas para cada comida, e compre o que está disponível e mais barato para a época.

Lembre-se de evitar comidas embaladas, e leve sua sacolinha reutilizável para diminuir seu lixo também. A vantagem de comprar comidas naturais é que você pode diminuir seu impacto de diversas formas.

Dica na hora de cozinhar grãos: deixe eles de molho por umas 8 horas antes de cozinhá-los para facilitar sua absorção de nutrientes!

  1. Existem produtos higiênicos de marcas menos conhecidas!

A maioria das pessoas está acostumada a comprar produtos que estão disponíveis nos grandes supermercados. E aí Seda, L’Oreal, Colgate, e diversas marcas famosas são a única opção. Mas marcas famosas, em geral, não são veganas, principalmente porque testam em animais!

Expandir o veganismo para além da dieta é essencial. Dê uma pesquisada na Internet sobre produtos de higiene veganos. O portal Vista-se é excelente para isso. E na sua cidade, dependendo de onde você for, também existem lojas virtuais veganas em que você pode ter uma ideia de onde comprar. Em geral, marcas menos conhecidas de empresas brasileiras tem mais chances de serem veganas ou pelo menos terem produtos veganos, como a marca de cosméticos Skala. A Contente, com sua pasta de dente, também é vegana.

Essas são marcas mais baratas que as multinacionais, e ainda brasileiras. Ao comprá-las, você não apoia somente a causa vegana, como economiza dinheiro e incentiva a indústria brasileira. Win win!

  1. Experimente fazer algumas coisas em casa

A Internet está cheia de receitas. Experimente fazer hummus, falafel, leite de vegetal, pizza, bolo, em casa mesmo. É divertido, e você ainda desenvolve habilidades novas e essenciais para qualquer adulto, hein!

Eu sou meio preguiçosa na cozinha agora morando sozinha em quarto de estudante. Mas na casa da minha mãe, sou a rainha do hummus e do falafel! Amo demais essas duas comidinhas, e não fico sem.

Ser vegano não é caro. Basta que você abra sua mente para novas marcas, novas possibilidades, novos sabores, e principalmente, educar-se a comer comidas de verdade, ao invés de industrializados. Pode levar um tempo até se acostumar, mas depois que passa do processo de aprendizado, vai ficar muito mais saboroso e leve se alimentar!