5 motivos para dar um tempo nas redes sociais

Resolvi tirar um tempo para me distanciar das redes sociais. Especificamente ficar sem entrar no Facebook, Instagram e Twitter. Já faz bastante tempo que tenho desejado apagar de vez meus perfis nessas redes. Mas por hora, desativei somente meu Instagram porque essa é para mim a rede social que mais me afeta. La embaixo falo mais sobre isso.

Acredito que muitas pessoas já tenham passado pela vontade de deletar essas redes sociais uma hora ou outra, e por diversos motivos. De maneira geral, apesar de achar que preciso das redes sociais, não é difícil perceber que elas são supérfluas. Postar fotos e ver o que meus amigos estão postando não é a atividade que necessariamente me traz algo de bom. Na verdade, eu notei nos últimos tempos que as redes sociais têm mais me prejudicado do que me ajudado.

1. Tempo perdido

Se tem uma coisa muito clara sobre usar as redes sociais sem intenção e cuidado é que elas nos fazem perder muito tempo. E como nosso tempo por aqui já é tão pequeno, precisamos mesmo pensar duas vezes antes de optar por gastá-lo nas redes sociais.

Utilizar aplicativos de redes sociais no celular cria um vício muito ruim, que é entrar a todo momento nas redes para postar ou consumir mais e mais coisas, seja por fotos, vídeos ou compartilhamentos.

Redes sociais foram feitas para prender nossa atenção, afinal, é a nossa atenção que é a moeda de troca dessas plataformas. Quanto mais entramos, mais queremos entrar e isso nos faz perder muito tempo!

2. Distração

Além do tempo perdido, redes sociais são fontes de distração. Sempre que me sinto desconfortável ou quero procrastinar, é muito fácil pegar o celular e, sem pensar, me distrair sem parar. Quando acabo de acordar, é muito fácil usar aquele tempo de preguiça do início do dia para me distrair nessas plataformas.

Da mesma maneira, as horas acordadas, estudando ou trabalhando são o tempo todo interrompidas por mais doses de distrações. O que parece apenas 5 minutos, no fim do dia, até a hora de dormir, facilmente se transforma em pelo menos algumas duas horas ou mais olhando para Facebook e Instagram, chats e youtube.

Na verdade, existem pesquisas que afirmam que passamos, em média, mais de duas horas diárias em redes sociais, isso em 2017. Eu tenho certeza que em 2018 e 2019 pessoas mais jovens tendem a passar ainda mais tempo nessas plataformas.

3. Não me traz quase nada de positivo

Tirando o fato de eu poder ver fotos de amigos e conhecidos, e por vezes ver um post aqui e outro ali com algum evento ou informação interessante, de maneira geral, eu preciso passar muito tempo nas redes sociais para achar algo realmente de valor.

Como eu disse no ponto anterior, Facebook ou Instagram são fontes de distração e entretenimento. Mas nada mais. Tirando as doses rápidas de dopamina, o excesso de conteúdo duvidoso, o que eu recebo são posts de publicidade, vídeos inúteis e acesso a comentários preconceituosos de pessoas de mente fechada.

De uns tempos para cá, deixei de seguir muitas pessoas tanto no Instagram quanto Facebook. Foi uma ótima decisão, mas ainda sim me notei vendo sempre os mesmos posts ou as mesmas publicidades.

4. Me coloca num estado de comparação

Querendo ou não, usar redes sociais me deixou mais deprimida, especialmente o Instagram. Comparar o que se passa comigo com o que as pessoas expõem nas redes sociais é injusto, mas é inevitável. Amigos e conhecidos viajando, namorando, ou conhecendo restaurantes legais. Pessoas que corpos perfeitos, celebridades endinheiradas… É muito fácil cair em um estado de comparação nas redes sociais.

E esse estado de comparação tende a gerar dois sentimentos: depressão e solidão. A Universidade da Pennsylvania recentemente concluiu um estudo sobre esse assunto. Segundo a pesquisadora e psicólogica Melissa Hunt diz:

“Usar redes sociais por menos tempo do que o seu normal poderá levar a uma diminuição significativa de ambas a depressão e a solidão. Esses podem afetar particularmente pessoas que estavam mais deprimidas no início do estudo”.

5. Viro meramente uma consumidora (e um produto)

Se tem uma coisa que me faz mal é saber que eu estou usando meu tempo para consumir ao invés de criar e aprender. E esse é exatamente o que as redes sociais faze comigo. Quando passo meu tempo nela, uma sensação estranha de que eu sou meramente uma consumidora logo surge.

Além de apenas consumir o que outras pessoas colocam nas redes sociais, suas fotos, vídeos e opiniões, tudo o que eu faço nessas plataformas são cuidadosamente transformadas em dados que podem ser vendidos para outras empresas.

Se você sabe um pouco do que está acontecendo no mundo, com certeza já ouviu falar nos problemas do Facebook (que por acaso também é dono do Instagram) em relação a forma como ele trata nossos dados. O modelo de negócios do Facebook é publicidade. Ele utiliza todos os dados que tem sobre nós e nossos comportamentos (o que gostamos e não gostamos, onde estamos, lugares que frequentamos) para fazer publicidade personalizada.

Pode ser que você não se importe com isso, mas perder privacidade e ainda perder tempo consumindo definitivamente são fatores que me levam a repensar o meu uso desse tipo de plataforma.

E o que é pior, segundo o New York Times, por anos o Facebook cedeu dados sobre nós ainda mais intrusivos para uma lista selecionada de grandes empresas.

Refletir sobre tudo isso me fez chegar a conclusão que eu preciso ficar um tempo longe dessas redes, e redescobrir meus hobbies e como eu posso usar meu tempo para descansar direito, focar no que é realmente importante para mim e meu futuro, aprender coisas novas e conhecer pessoas de verdade.

Existem algumas estratégias que comecei a seguir para fazer com que esse mês longe das redes sociais sejam interessantes e possam restaurar um pouco minha relação com essas plataformas.

  • Tirar os apps do celular, e diminuir notificação de outras apps.
  • Colocar um bloqueador de sites no navegador. Eu uso o BlockSite no meu navegador Firefox.
  • Preencher o tempo que sobra criando e aprendendo. Meus dois objetivos são criar mais (escrever, tirar fotos, criar conteúdo para o meu blog, escrever minha tese), e aprender (francês, yoga, dança)
  • Viver a vida com mais intenção. Me lembrar das minhas decisões e não voltar atrás sempre que eu quiser me distrair.